close

O Aço Inoxidável

O Aço Inoxidável

Sustentabilidade do aço inox: saiba mais!

sustentabilidade do aço inox

A sustentabilidade não é mais apenas um conceito abstrato ou um ideal distante. Ela, cada vez mais, mostra-se presente na mente, nas decisões de compra e no comportamento das pessoas. E isso impulsiona consumidores e empresas a reverem seus hábitos. É nesse contexto que a sustentabilidade do aço inox mostra-se cada vez mais relevante.

De fato, conforme pesquisa realizada pelo Instituto Akatu, um percentual crescente de pessoas tem valorizado mais as práticas sustentáveis, incorporando pequenas ações sustentáveis em suas rotinas e sendo mais exigentes com as empresas em relação ao seu compromisso com questões socioambientais. Outro estudo demonstrou que o brasileiro ocupa o terceiro lugar no ranking de povos com maior consciência e preocupação com a sustentabilidade.

E você, está procurando formas de incorporar práticas mais sustentáveis em sua rotina? Então, não deixe de conhecer mais sobre a sustentabilidade do aço inox. Acompanhe a seguir.

sustentabilidade do aço inox

Por que o aço inox é mais sustentável?

O aço inox é considerado o metal mais sustentável entre os disponíveis comercialmente no mercado. Ele está alinhado ao conceito de desenvolvimento sustentável, que é aquele que supre as necessidades do presente sem comprometer a habilidade das gerações futuras em suprir as suas próprias necessidades.

Trata-se de um insumo ecologicamente correto em relação a outros tipos de materiais, apresentando um teor reciclado médio de 60% e sendo 100% reciclável.

A sustentabilidade do aço se apresenta, ainda, pela sua possibilidade de reutilização, visto que seus resíduos, por isso, não serão desviados para aterros sanitários. Ainda, trata-se de uma matéria-prima quimicamente segura, que não polui rios e mares.

Sustentabilidade do aço inox: por que escolhê-la?

Além de todos os benefícios que vimos, podemos ainda destacar:

1. A durabilidade do aço inox

A elevada durabilidade de produtos feitos desse material  faz com que menos rejeitos sejam descartados no meio ambiente ou precisem ser submetidos ao processo de reciclagem.

2. A segurança química do metal

Se outros metais forem descartados em um pequeno rio, provavelmente a fauna e a flora local serão comprometidas, além de tornar suas águas impróprias para consumo. Se o mesmo ocorrer com o aço inox, não haverá tais impactos, pois ele é quimicamente seguro. Por isso, há, por exemplo, criadouros de peixes feitos desse material. Ou mesmo próteses internas utilizadas no organismo humano feitas em aço inox.

Ainda, sua segurança química é maior, pois os materiais de aço inox não utilizam tintas ou compostos químicos poluentes (como o verniz de uma madeira, por exemplo).

3. O potencial de reciclagem do aço inox

Como vimos, esse metal é 100% reciclável, podendo passar por incontáveis processos de reciclagem sem perder sua qualidade e suas propriedades. Além disso, ao contrário de outros materiais, sua reciclagem tende a ser simplificada.

4. A sustentabilidade do aço inox em seu processo produtivo

Busca-se melhorar continuamente o processo produtivo do aço inoxidável. Da década de 1960 para cá, as emissões de CO2 caíram para metade e a de partículas foi diminuída em mais de 90%.

Ainda, essas partículas são quase completamente recicladas e os gases residuais são reutilizados para a produção de energia. Outro fator importante é que boa parte da produção do material é feita em siderúrgicas que são alimentadas com sucata reciclada e não geram emissões de CO2.

Assim, seja na construção civil, na decoração, em utensílios domésticos ou industriais, a sustentabilidade do aço inox se faz presente. Preferir os produtos feitos a partir desse metal é uma escolha que, além de garantir itens de beleza e qualidade, ainda auxilia o meio ambiente.

E então, o que você achou sobre a sustentabilidade do aço inox? Você pensa em optar por ele em suas próximas decisões de compra? Deixe sua mensagem nos comentários.

read more
CorrosãoO Aço Inoxidável

Aço Inox não enferruja: porque que isso acontece?

iron-rods-474792_1920

A descoberta do aço inoxidável foi resultado da busca por uma liga que resistisse ao desgaste. Hoje, devido às diversas vantagens do material, há diversos produtos e aplicações do aço inox no dia a dia. No entanto, muita gente tem dúvidas de porque aço inox não enferruja.

Pensando nisso, no post de hoje, falaremos sobre porque aço inox não enferruja. Continue lendo e saiba um pouco mais sobre a história e por que essa resistência à corrosão e ferrugem é tão própria dessa liga metálica. Confira!

 

Origem do aço inox

Antes de entendermos porque aço inox não enferruja, é importante conhecer um pouco da história desse metal.

A história do aço inox começa na Inglaterra, em 1913. Um metalurgista, em seu laboratório localizado em Sheffield, testava ligas que resistissem melhor aos ataques químicos. O resultado veio na forma de uma liga de cromo e níquel, com uma base de ferro.

Inicialmente, o aço inoxidável passou a substituir o aço-carbono, utilizado na fabricação de talheres. Sua resistência maior ao desgaste foi estudada em 1911, dois anos antes. Dois pesquisadores alemães conseguiram provar a relação entre o cromo e a resistência à corrosão.

Foi descoberto que com um mínimo de 10,5% do cromo presente na liga garantia-se uma resistência maior. A resistência À corrosão do molibdênio também foi outro foco dos pesquisadores. Atualmente, ambos os metais podem ser encontrados no aço inox, com diferentes porcentagens.

Porque aço inox não enferruja: afinal, o que impede que a ferrugem se forme no aço inox?

Muita gente se pergunta porque aço inox não enferruja. Isso ocorre devido aos componentes de sua estrutura.

Aços comuns reagem com o oxigênio com maior facilidade, gerando ferrugem pela superfície abrasiva. O cromo, no entanto, reage à essa corrosão, formando a chamada camada passiva, o que garante uma resistência mais intensa do material à ação de agentes corrosivos.

No entanto, há diferentes níveis de resistência e especifidades, conforme o tipo de aço inox.

Para entendermos melhor, o aço inox é dividido em distintas famílias de aço. Elas são as seguintes:

Austeníticos

São os aços mais utilizados do mercado devido à sua facilidade de conformação e resistência à rupturas e trincas, mesmo em baixas temperaturas. É conhecida no mercado como a família 300. Tratam-se de ligas com baixo teor de carbono, resistindo a temperaturas extremas.

Revestimentos, tubulações, pias e cubas geralmente utilizam o aço austenítico.

Ferríticos

Possuem baixo custo, no entanto contam com dureza e resistência à corrosão limitada devido à sua composição química.

Como o nome indica, trata-se de um material que se aproxima mais do ferro. Na indústria, é classificado sob a série 400. Por ser altamente condutivo, sua aplicação é ampla em produtos com maior resistência a trocas de calor, como eletrodomésticos e escapamentos de automóveis.

Martensíticos

Tratam-se de aços inoxidáveis mais resistentes e duros, bastante similares ao aço carbono. Devido à sua composição com altos índices de carbono, podem ter sua resistência aumentada por meio do aquecimento.

São aços de elevada dureza. Os tipos mais comuns da família dos martensíticos são os AISI 498 e AISI 420. Os martensíticos são utilizados para a produção de bombas, eixos, pistas de rolamento e instrumentos hospitalares

Aço Duplex

Além das três principais famílias que vimos anteriormente, ainda existe o Aço Duplex, composto por aproximadamente metade da estrutura ferrítica e a outra metade austenítica.

São amplamente utilizados na indústria de celulose, que exige meios bem agressivos, demandando um material com resistência maior.

Para saber mais, não deixe de conferir o ebook ABC do Aço Inox. E se você ficou com alguma dúvida sobre porque aço inox não enferruja ou quer encontrar o aço certo para o seu projeto, deixe seu comentário ou entre em contato com a Losinox. Até a próxima!

read more
O Aço Inoxidável

Você sabe qual é o melhor aço para cutelaria?

START

Há inúmeros tipos de aço, mesmo aqueles que pertencem à mesma família, como o aço inox, se subdividem em várias categorias. Por esse motivo, quem leva a sério a qualidade de suas facas ou de seus materiais de aço, em geral, deve prestar atenção redobrada na hora da compra. Ainda mais se você deseja se dedicar à cutelaria artesanal ou profissional. Pensando nisso, no post de hoje, vamos apresentar quais são os principais aços no mercado e qual é o melhor aço para cutelaria. Acompanhe!

aço para cutelaria

 

Na hora de escolher aço para cutelaria, é importante prestar atenção à lâmina

O aço da lâmina deve receber especial atenção, pois ela é responsável pela forma que a faca funciona.

Na indústria dedicada à manufatura de facas, usa-se diferentes tipos de aço, além da criação de novos, a partir da adição de elementos novos. Outro ponto que comumente se altera, é a forma como a lâmina é enrolada e aquecida (ou seja, o processo de acabamento).

No geral, muitas pessoas usam o aço em carbono para a prática cuteleira. Esses aços em carbono são as opções mais tradicionais, pois podem assumir acabamentos rústicos ou mesmo contrastes interessantes. Quando bem polidos, esses aços apresentam uma bela cor acinzentada.

Dependendo do cuidado do proprietário, a faca está sempre brilhante e com cor uniforme. Entretanto, para isso, é preciso que o aço carbono seja lavado logo após o uso. Caso a faca fique abandonada suja após o uso, ela poderá apresentar pontos de ferrugem e manchas.

Esses são chamados os aços simples. Isso, pois, seus únicos elementos importantes são o ferro e o carbono.

Vamos listar algum deles:

  • 1020 é um aço simples com 0,2 % carbono. Este aço não se presta a cutelaria, mas é muito usado na construção mecânica de maquinas e nos dispositivos das oficinas.
  • 1045 tem 0,45% de carbono. Pode ser uma opção para algumas espadas e facões.
  • 1070 com 0,7% de carbono já começa a ser usado na cutelaria, principalmente em sanduíches com outros aços para formar aços tipo damasco.
  • 1095 com 0,95% de carbono é o aço padrão das limas de boas marcas e gera boas facas para quem gosta de um aço tradicional.

Agora, você sabia que até o sabor de um alimento pode mudar de acordo com a faca utilizada? Para os paladares mais requintados, o aço inox é a melhor opção. Além disso, ele é menos suscetível a manchas e exige menos cuidados no dia a dia. O aço inox mantém seu brilho por muito mais tempo, por isso também ele é o melhor aço para cutelaria.

O aço inox é a melhor escolha para as tarefas que envolvam água. Em países como o Brasil, há uma exigência de legalização. Assim, as facas de inox utilizadas em açougues e restaurantes são feitas com cabos injetados para dificultar a entrada de partículas que possam contaminar o aço.

Os materiais de inox, em linhas gerais, são aqueles que possuem uma partícula de cromo adicionada à sua feitura para resistir à corrosão e a outros elementos que aumentam os níveis de desempenho. Para que a faca seja realmente de aço inoxidável, é preciso pelo menos 13% de cromo em sua composição.

Sabemos, portanto, que existem diversos tipos de aço para cutelaria. Para quem trabalha com cutelaria, é importante experimentar e procurar qual aço se adaptará melhor às suas necessidades. Entretanto, podemos ressaltar que quase que a unanimidade dos cuteleiros prefere o aço inox, pois ele proporciona um bom fio, além de ser durável, de fácil limpeza e de ter qualidades estéticas, como o brilho.

E então, você já escolheu o melhor aço para cutelaria? A Losinox está aqui para ajudá-lo! Deixe sua mensagem nos comentários ou entre em contato!

read more
O Aço Inoxidável

Entenda a diferença entre o aço inox 430 e o 304!

are more

Sabemos que existem diversos tipos e classificações de aço inoxidável, cada um com características e composição química próprias. Entre eles, alguns são mais utilizados nas instalações das cozinhas profissionais. É o caso dos aços inoxidáveis 430 e o 304. Entretanto, existem diferenças entre eles. Para entender um pouco sobre a diferença entre o aço inox 430 e o 304, preparamos o post de hoje. Acompanhe a seguir!

aço inox 430

O aço inox

Aço Inox ou Aço Inoxidável é uma liga metálica constituída basicamente de uma mistura de ferro com, no mínimo, 10,5% de cromo. Essa adesão de cromo torna o aço inox superior ao aço comum. Ele ganha, portanto, características como: resistência ao impacto, durabilidade, e resistência ao calor e à corrosão.

Em linhas gerais, o aço inoxidável é uma liga de ferro e cromo, mas pode conter também níquel, molibdénio e outros elementos. Esse tipo de material apresenta propriedades físico-químicas que não permitem que ele sofra a comum oxidação atmosférica.

No entanto, existem diversas famílias e grupos em que podemos dividir o Aço Inox. Os tipos de aço e sua nomenclatura numérica variam de acordo com os elementos a ele adicionados. Entre os elementos, podem ser adicionados silício, carbono, níquel entre outros.

A diferença entre o aço inox 430 e o 304

Primeiramente para entendermos a diferença entre o aço inox 430 e o 304, é importante saber que eles pertencem a famílias diferentes. O Aço Inox AISI 304 pertence à família dos Austeníticos, enquanto o Aço Inox AISI 430 pertence à família dos Ferríticos. Isso significa que o 304 é composto basicamente por ferro, cromo (pelo menos 18%) e níquel (8%), o que garante a alta resistência à oxidação e corrosão, a boa conformabilidade e boa soldabilidade. Esse aço também não é magnético.

Já o 430 não possui níquel em sua composição, o que reduz seu custo e o torna magnético. É mais difícil de soldar e, embora apresente propriedades inferiores ao 304, também pode ser utilizado na fabricação de equipamentos para cozinhas profissionais.

Aço inox 430 e 304: onde podem ser utilizados?

O aço inoxidável tipo 430 é ideal para a produção de acabamentos automotivos e para o interior de secadores e máquinas de lavar louça. Já o 304 é utilizado pelos fabricantes na produção de pias de cozinha, bancadas, equipamentos de processamento de alimentos e outros equipamentos para ambientes corrosivos.

O tipo 430 é um dos mais populares tipos de aço inox. Agora, tanto o 430 quanto o 304, apesar de diferentes tipos de misturas, ambos os tipos têm diversas aplicações práticas, industriais, médicas e domésticas.

Magnetismo, custo e características físicas

Como vimos, uma diferença entre o aço inox 430 e o 304 diz respeito ao magnetismo – o aço inoxidável  430 é magnético enquanto o 304 não.

O aço 430 é menos caro e é um pouco mais difícil de formar e soldar do que o tipo 304. O aço inoxidável é uma escolha popular para espetos de churrasco, acessórios para grelhar e churrasqueiras.

O aço inoxidável mais comum e caro, portanto, é o 304, que contém aproximadamente 18% de cromo e 8% de níquel. E o tipo de aço mais popular é o 430, que contém 17% de cromo e 0,12% de carbono. É o cromo que dá suas propriedades resistentes à corrosão.

Por isso, as grelhas aço inoxidável tipo 304 são mais duráveis e podem suportar mais calor do que o tipo 430.

Resumo da diferença entre o aço inox 430 e o 304:

  • O aço inoxidável 430 é magnético.
  • O aço 304 não é magnético.
  • O 430 é um pouco difícil de modelar, já o 304 é mais fácil de formar e soldar.
  • O 430 é constituído por 17% de cromo e 0,12% de carbono, 304 contém 18% de cromo e 0,08% de carbono.

E então, tiramos sua dúvida sobre a diferença entre o aço inox 430 e o 304? Se você tiver algum questionamento, deixe sua mensagem nos comentários ou entre em contato com a Losinox. Até a próxima!

read more
Corte e DobraO Aço Inoxidável

Como funciona o corte e dobra a frio? Entenda este processo!

corte e dobra a frio

Um projeto personalizado de aço inox exige processos específicos para a manipulação da chapa em si. O corte e a dobra da chapa de aço são processos essenciais para a transformação do metal para seu trabalho. Pensando nisso, neste post, você descobrirá como ocorre o procedimento e quais são as vantagens de investir em uma empresa com equipamento diferenciado, com processos de corte e dobra a frio. Confira!

corte e dobra a frio

Por que utilizar o corte e dobra a frio?

Os processos de corte e dobra a frio têm como objetivo separar e deformar a peça de aço inox. Isso é feito com o uso de uma guilhotina de corte e uma dobradeira, equipamentos que permitem que a peça possa ser trabalhada sob medida de acordo com a necessidade de seu projeto.

O corte e dobra a frio, em aço inox, necessita ser realizado de acordo com as especificações técnicas e a demanda do cliente. Diversos fatores podem ser significativos para esses serviços. Entre eles, podem ser destacados os seguintes:

  • Qualidade da chapa de aço.
  • Comprimento e largura da peça.
  • Tipo de aço inox utilizado.
  • Espessura ideal da chapa.
  • Padrão de qualidade necessário.

O corte e dobra a fio devem ser utilizados como recursos que auxiliem na fabricação do projeto em questão. Por isso, tenha em mente que ter um desenho ou o projeto da peça, em conjunto com as especificações dos fatores citados acima, gera um caminho mais otimizado e preciso na produção das peças metálicas desejadas.

corte e dobra a frio

Dobra de chapa de aço inox

O processo de dobra da chapa de aço deforma o material ao longo de um eixo. Essa deformação modifica a geometria na peça, porém mantendo o volume original do material. As características do produto em seu formato original não sofrem alteração, com exceção de alguns casos em que a espessura pode ter pequenas alterações.

Tanto o estresse quanto a compressão no interior da peça são resultados do processo de dobra. Processo esse que garante maior rigidez à chapa, permitindo maior resistência, além de alterar sua inércia.

O efeito estético também é uma característica importante desse processo, fazendo com que a chapa de aço inox não tenha arestas vivas aparentes.

A dobra a frio é feita dessa forma para garantir que a alta temperatura do maquinário não seja um empecilho para o resfriamento da peça. Geralmente o processo a frio faz com que a conformação do material seja realizada de forma mais ágil.

Corte de chapa de aço inox

O corte a frio, também conhecido como corte guilhotina, é um processo cuja tecnologia realiza um corte automatizado de chapas de aço.

Trata-se de uma técnica de alta precisão, que inclusive pode ser realizada a frio. O corte a frio reduz a probabilidade de riscos, como faíscas e contaminação por gases resultantes. O corte é realizado de acordo com a faca e as especificações dadas pelo cliente.

Considerações finais

O corte e dobra a frio são processos que exigem qualidade, necessitando de uma tecnologia de ponta e de equipamentos modernos que garantam a maior precisão e a repetibilidade para seu projeto.

Para realizar a demanda de seu projeto, aposte em equipamentos modernos de corte e dobra. A Losinox conta com maquinas dedicadas para corte e dobra a frio em aço inox. Ou seja, produtos como cantoneiras dobradas de chapas, barras chatas cortadas, e chapas em perfil “Z”, “U” e “L” são fabricadas sem que haja um desgaste no equipamento, permitindo um trabalho de qualidade sem comprometer sua agilidade de entrega.

E então, tiramos sua dúvida sobre como funciona o corte e dobra a frio? Para saber mais sobre esse serviço da Losinox, entre em contato com a gente!

read more
Comprando o aço inoxO Aço Inoxidável

As diferenças entre as ligas de aço inox AISI 304 / 304 L / 304 H

chocolate chip

O aço inoxidável é uma liga metálica cuja microestrutura define qual será sua utilização mais adequada. No mercado de aço inox há, por exemplo a família dos aços austeníticos, de alta resistência a corrosão. Nessa família, existem classificações como as ligas de aço inox AISI 304, 304L e 304H.

Os aços austeníticos oferecem uma maior resistência em relação a trincas e rupturas. Essa resistência ocorre mesmo considerando baixas temperaturas.

Neste artigo, você saberá as diferenças entre as Ligas de aço inox AISI 304, 304L e 304H. Confira a seguir!

 

 ligas de aço inox AISI 304, 304L e 304H

Ligas de aço inox AISI 304, 304L e 304H e suas composições químicas

O aço AISI 304 (também chamado de aço 304 ou aço 18/8) é o tipo de aço inox mais popular no mercado. Sua aplicação abrange diversas áreas da indústria, como utensílios de cozinha, hospitais, indústrias farmacêuticas, químicas, petroquímicas, etc.

A composição química de sua liga metálica de aço inox – conforme a padronização estabelecida pela AISI – é a seguinte:

AISI 304

  • Carbono (C): máximo de 0,08%
  • Cromo (Cr): 18% a 20%
  • Níquel (Ni): 8% a 10,5%
  • Manganês (Mn): máximo de 2%
  • Fósforo (P): máximo de 0,045%
  • Enxofre (S): máximo 0,030%
  • Silício (Si): máximo 0,75%

AISI 304L

  • Carbono (C): máximo de 0,03%
  • Cromo (Cr): 18% a 20%
  • Níquel (Ni): 8% a 12%
  • Manganês (Mn): máximo de 2%
  • Fósforo (P): máximo de 0,045%
  • Enxofre (S): máximo ,030%
  • Silício (Si): máximo 0,75%

AISI 304H

  • Carbono (C): mínimo de 0,04% e máximo de 0,10%
  • Cromo (Cr): 18% a 20%
  • Níquel (Ni): 8% a 10,5%
  • Manganês (Mn): máximo de 2%
  • Fósforo (P): máximo de 0,045%
  • Enxofre (S): máximo de 0,030%
  • Silício (Si): máximo de 0,75%

É importante conhecer a composição química de cada liga de aço inox AISI. Dessa forma, você poderá investir naquele que servirá melhor a seus propósitos e que seja mais aderente às necessidades de seu projeto.

Benefícios e aplicações das ligas de aço inox AISI 304, 304L e 304H

Note que o que distingue os diferentes tipos de aço é a quantidade de carbono em sua composição. Essa diferenciação ocorre pois o carbono e o cromo, quando aquecidos a altíssimas temperaturas (entre 425 e 800ºC), acaba por precipitar a superfície do material. Isso causa a chamada sensitização, ou seja, a perda de resistência à corrosão.

Essa precipitação do cromo em carboneto faz com que materiais com menos carbono tenham destaque no mercado.

Basicamente, essa é a diferença primária entre ligas de aço inox AISI 304 e AISI 304L. O tipo 304L, com seu teor máximo de 0,03% de carbono, possui uma aplicação melhor na fabricação de equipamentos. Por isso, necessita estar constantemente em contato com meios corrosivos e sensitizadores.

Já o tipo 304H, embora semelhante à liga de aço 304, tem a diferença de 0,04% na sua máxima composição de carbono.

Esse tipo de aço é uma solução quando a corrosão não é necessariamente uma ameaça para sua aplicação. Em alguns casos, valores mais altos de carbono podem ser um benefício. Uma fina rede de carbonetos ajuda o aço a conservar suas habilidades mecânicas.

Na família de aços austeníticos (para saber mais sobre eles, confira o ebook gratuito ABC do Aço Inox), há materiais extremamente resistentes. O que determinará a aplicação das ligas de aço inox AISI 304, 304L e 304H será as especifidades de seu projeto.

Produtos domésticos, tubos, calhas e finalidades estruturais? O AISI 304 é uma liga indicada. Necessita de maior resistência à corrosão intergranular? O 304L torna-se uma melhor opção. Precisa manter a propriedade mecânica em alta temperatura e não há perigo de corrosão por precipitação? Então, o 304H pode ser uma boa alternativa.

É preciso pesquisar com atenção e definir com precisão as necessidades de seu projeto antes de escolher a liga de aço inox ideal, mas, a partir dessas dicas, você já pode começar a orientar o planejamento e a execução de seu projeto no caminho certo!

E então, ficaram claras as diferenças entre as ligas de aço inox AISI 304, 304 L e 304 H? Caso tenha dúvidas sobre o aço mais indicado para o seu projeto ou queira saber mais sobre as soluções em aço inox oferecidas pela Losinox, contate-nos utilizando nosso formulário!

read more
CorrosãoO Aço Inoxidável

O que é a camada passiva do aço inox?

A

Ao contrário de outros metais, o aço inox permanece, por muitos anos, brilhante e com um aspecto positivo, sem corrosão. Isso se deve à camada passiva do aço inox.

Em um processo de corrosão, a camada passiva é a responsável por garantir que o aço inox mantenha-se durável e possa ser utilizado para a aplicação desejada.

No post de hoje, saiba mais sobre o que é e veja a importância da camada passiva do aço inox, além de dicas de como escolher um fornecedor para este material. Confira!

camada passiva do aço inox

Afinal, o que é a camada passiva do aço inox?

Primeiramente, é preciso entender como o conceito de corrosão funciona. O que popularmente é conhecido como corrosão é, na verdade, a formação de óxido de ferro na superfície do material.

A camada passiva, nesse caso, é uma espécie de película protetora que garante a característica inoxidável para o aço. Trata-se de uma proteção química inerente ao aço inox, que o protege do surgimento de ferrugem.

Além disso, a camada passiva possui capacidade de autorregeneração. Assim quando a superfície do aço inoxidável é danificada por um arranhão, por exemplo, a camada passiva se recompõe quase que no mesmo instante. Isso se deve à presença do cromo da camada passiva, que continua reagindo com o oxigênio do meio.

A camada passiva do aço inox é invisível a olho nu, apresenta uma espessura bastante fina e é muito aderente ao inox.

Por que é importante investir em aço inox?

A importância e a versatilidade do aço inox para diferentes projetos e aplicações é enorme. Desde utensílios domésticos até indústrias petroquímicas, o aço inox está presente para garantir maior maleabilidade na fabricação de produtos, conservação de calor em equipamentos industriais e muito outros benefícios inerentes ao uso desse metal.

A camada passiva, embora forneça a resistência buscada pelo aço inox, não é a única característica responsável para as diferentes aplicações do material. Substâncias como o níquel, o molibdênio e o carbono também têm propriedades que garantem resistência ao material e o adequam a projetos distintos.

Mesmo tipos de aço mais comuns no dia a dia, como o aço 304, por exemplo, têm sua utilidade em diferentes ambientes que sofrem efeitos de corrosão e precisam da aplicação de um aço inox em seu maquinário ou ferramentas. Para saber mais sobre as diferentes famílias de aço inox e conhecer a diferença de cada um dos tipos de aço inox disponíveis no mercado, não deixe de ler o ebook gratuito ABC do Aço Inox.

 

Escolhendo o fornecedor ideal para o aço inox

Quando a camada passiva do aço inox é aliada a outras substâncias, isso torna o material mais adequado para aplicações específicas demandadas por seu projeto.

Mas como saber, dentre as opções do mercado, qual fornecedor vende o produto recomendado e com o melhor custo-benefício?

Encontrar o fornecedor ideal pode exigir um certo trabalho, especialmente para compradores que estão pela primeira vez tendo contato com o material.

Muitas vezes, a prioridade em escolher um aço inox vai além da vantagem da camada passiva, exigindo do comprador conhecimentos técnicos difíceis de serem obtidos rapidamente em prazos curtos.

Por isso, fique atento à qualidade oferecida pelo fornecedor e às suas certificações. Competência e experiência no mercado também contam muito. Peça recomendações, fale com outros clientes desse fornecedor, faça um teste e confira de perto se o profissional responsável pela venda de aço inox tem o que seu projeto necessita – e com as condições ideais.

Caso deseje saber mais sobre aplicações industriais, domésticas e comerciais para o aço inox, bem como a melhor opção em custo-benefício desse metal, baixe gratuitamente o ebook Manual do Comprador da Losinox!

 

E então, ficou com alguma dúvida sobre a camada passiva do aço inox? Deixe sua mensagem nos comentários e para mais informações entre em contato com a Losinox!  

read more
O Aço Inoxidável

Uso de aço inox em equipamentos da indústria sucroalcooleira

desde 1973

A presença do aço inox em equipamentos da indústria sucroalcooleira despontou com o Programa Nacional do Álcool de 1973. Desde então, o Brasil passou a utilizar em suas usinas de açúcar materiais de aço inox, por conta de sua compatibilidade com as funções da indústria e seu excelente custo-benefício.

Confira, a seguir, a utilidade do aço inox na indústria sucroalcooleira e a importância de sua presença para as atividades dessa indústria.

Aço inox é muito usado na indústria alimentícia

Benefícios do aço inox em equipamentos da usina sucroalcooleira

Os processos industriais envolvidos na fabricação de produtos derivados da cana-de-açúcar têm presença ampla do aço inox. Em usinas de açúcar, é possível encontrar processos nos quais o desgaste e a corrosão são mais intensos, como na entrada da matéria-prima e na moagem.

Desgaste e corrosão ocorrem por conta dos resíduos minerais na cana-de-açúcar, além de ser parte natural do processo. Corrosão por pites (localizada), em frestas, microbiológica e generalizada são alguns dos fenômenos possíveis.

Os efeitos de desgaste podem impactar a qualidade da fabricação de açúcar. No processo, a deterioração pode criar pequenas partículas pretas no produto, comprometendo a produção.

Para evitar a oxidação do aço-carbono, investir em maquinário de aço inoxidável garante uma qualidade maior do açúcar, evitando os chamados “pontos pretos” causados pelo óxido e por partículas ferromagnéticas que se soltam do aço-carbono e garantindo o preço de venda no mercado, contribuindo, assim, com a lucratividade da indústria sucroalcoleira.

Além de qualidade do produto, a vida útil e a higiene também são beneficiadas com equipamentos em aço inox.

O material possui alto grau de limpeza, impede que bactérias se proliferem e mantém as características dos alimentos produzidos, como cor e sabor.

Essa qualidade é chamada de inércia química e é uma das grandes vantagens do uso do aço inox na indústria sucroalcoleira.

Industrialização e fabricação: tipos de aço inox mais utilizados

Os tipos de aço inox utilizados na indústria sucroalcooleira garantem a otimização de seus processos produtivos.

Confira, a seguir, alguns exemplos de aplicações para os aços inox mais utilizados, separados pela família pertencente:

Austeníticos

  • 304 – Amplamente usado em equipamentos de refino e condutores de água.
  • 316L – Aplicado em bombas, tanques e evaporadores. Sua resistência maior à pressão também o torna um aço inox adequado para aquecedores.

Martensíticos

  • 410D – Utilizado em equipamentos de recebimento e preparo da cana-de-açúcar, ou seja, em etapas iniciais. Alta resistência à corrosão e grande durabilidade.

Ferríticos

  • 439 – Tubos soldados e trocadores de calor utilizam esse aço inox. Útil para conexões em etapas de evaporação e cozimento.
  • 444 – Reservatórios de baixa pressão e melhor resistência a corrosão.

Nas usinas, é possível ver a aplicação do aço inox em chapas, na entrada e no equipamento de moenda da cana-de-açúcar.

Além disso, o Chute-Donnelly e o Cush-Cush também são fabricados com o aço inox, e essenciais para o processo de moagem. E, como já visto, todo o processo de evaporação, aquecimento e cozimento que segue também pode fazer uso desse material.

Considerações finais

O uso do aço inox em equipamentos da indústria sucroalcooleira é mais do que somente uma tendência. É um processo natural, que abrange todo o setor de alimentos e, claro, não poderia ser diferente com esse segmento. O aço inoxidável se destaca na durabilidade, higiene e qualidade dos processos de uma indústria de primeira necessidade como a sucroalcooleira.

Você já sabia do uso de aço inox na indústria sucroalcoleira? Ficou com alguma dúvida sobre o tema? Deixe sua mensagem nos comentários e para mais informações sobre como investir no aço inox mais adequado para os objetivos de sua empresa, não deixe de ler o nosso ebook gratuito ABC do Aço Inox. Caso tenha dúvidas sobre as diferentes famílias e tipos disponíveis de aço inox, contate a Losinox!

read more
O Aço Inoxidável

Sustentabilidade do aço inox: saiba mais!

plasma

A sustentabilidade não é mais apenas um conceito abstrato ou um ideal distante. Ela, cada vez mais, mostra-se presente na mente, nas decisões de compra e no comportamento das pessoas. E isso impulsiona consumidores e empresas a reverem seus hábitos. É nesse contexto que a sustentabilidade do aço inox mostra-se cada vez mais relevante.

De fato, conforme pesquisa realizada pelo Instituto Akatu, um percentual crescente de pessoas tem valorizado mais as práticas sustentáveis, incorporando pequenas ações sustentáveis em suas rotinas e sendo mais exigentes com as empresas em relação ao seu compromisso com questões socioambientais. Outro estudo demonstrou que o brasileiro ocupa o terceiro lugar no ranking de povos com maior consciência e preocupação com a sustentabilidade.

E você, está procurando formas de incorporar práticas mais sustentáveis em sua rotina? Então, não deixe de conhecer mais sobre a sustentabilidade do aço inox. Acompanhe a seguir.

sustentabilidade do aço inox

Por que o aço inox é mais sustentável?

O aço inox é considerado o metal mais sustentável entre os disponíveis comercialmente no mercado. Ele está alinhado ao conceito de desenvolvimento sustentável, que é aquele que supre as necessidades do presente sem comprometer a habilidade das gerações futuras em suprir as suas próprias necessidades.

Trata-se de um insumo ecologicamente correto em relação a outros tipos de materiais, apresentando um teor reciclado médio de 60% e sendo 100% reciclável.

A sustentabilidade do aço se apresenta, ainda, pela sua possibilidade de reutilização, visto que seus resíduos, por isso, não serão desviados para aterros sanitários. Ainda, trata-se de uma matéria-prima quimicamente segura, que não polui rios e mares.

Sustentabilidade do aço inox: por que escolhê-la?

Além de todos os benefícios que vimos, podemos ainda destacar:

1. A durabilidade do aço inox

A elevada durabilidade de produtos feitos desse material  faz com que menos rejeitos sejam descartados no meio ambiente ou precisem ser submetidos ao processo de reciclagem.

2. A segurança química do metal

Se outros metais forem descartados em um pequeno rio, provavelmente a fauna e a flora local serão comprometidas, além de tornar suas águas impróprias para consumo. Se o mesmo ocorrer com o aço inox, não haverá tais impactos, pois ele é quimicamente seguro. Por isso, há, por exemplo, criadouros de peixes feitos desse material. Ou mesmo próteses internas utilizadas no organismo humano feitas em aço inox.

Ainda, sua segurança química é maior, pois os materiais de aço inox não utilizam tintas ou compostos químicos poluentes (como o verniz de uma madeira, por exemplo).

3. O potencial de reciclagem do aço inox

Como vimos, esse metal é 100% reciclável, podendo passar por incontáveis processos de reciclagem sem perder sua qualidade e suas propriedades. Além disso, ao contrário de outros materiais, sua reciclagem tende a ser simplificada.

4. A sustentabilidade do aço inox em seu processo produtivo

Busca-se melhorar continuamente o processo produtivo do aço inoxidável. Da década de 1960 para cá, as emissões de CO2 caíram para metade e a de partículas foi diminuída em mais de 90%.

Ainda, essas partículas são quase completamente recicladas e os gases residuais são reutilizados para a produção de energia. Outro fator importante é que boa parte da produção do material é feita em siderúrgicas que são alimentadas com sucata reciclada e não geram emissões de CO2.

Assim, seja na construção civil, na decoração, em utensílios domésticos ou industriais, a sustentabilidade do aço inox se faz presente. Preferir os produtos feitos a partir desse metal é uma escolha que, além de garantir itens de beleza e qualidade, ainda auxilia o meio ambiente.

E então, o que você achou sobre a sustentabilidade do aço inox? Você pensa em optar por ele em suas próximas decisões de compra? Deixe sua mensagem nos comentários.

read more
O Aço Inoxidável

Comparando tipos de aço inox AISI 316: Aço 316 e 316L x Aço 316Ti

aisi 316

A família dos aços austeníticos compreende os tipos de aço inoxidável mais utilizados pelo mercado, tendo maior facilidade no processo de conformação e uma resistência maior ? trincas e rupturas, mesmo em temperaturas baixas. No artigo de hoje, faremos uma comparação entre as características, aplicações e vantagens de três tipos de aço inoxidável do mesmo tipo com algumas variantes em sua liga: Aço inox AISI 316, Aço inox AISI 316L e Aço inox AISI 316Ti.

Entendendo a numeração de aço inoxidável do padrão europeu

Antes de realizarmos a comparação, vale uma explicação rápida sobre o valor numérico utilizado na classificação europeia para quem trabalha com este padrão.

Além da classificação americana do AISI para os tipos de aço inoxidável de acordo com sua família e composição, a numeração europeia faz parte de um sistema definido para identificar com mais precisão os tipos de aço. Nesse caso, considere o Aço inox aisi 316, 316L e 136Ti como, respectivamente, 1.4401, 1.4404/1.4432 e 1.4571.

Aço inox aisi 316, 316L e 316Ti: comparação de composição química

Como vimos anteriormente, a composição química do Aço inox aisi 316 e do 316L difere apenas no teor de carbono de ambos, sendo que o Aço inox aisis 316L contém cerca de 0,05% a menos do que o Aço aisi 316. Isso confere ao 316L maior resistência ? ? corrosão intercristalina e impacto da atmosfera.

O aço inox aisis 316Ti possui composição praticamente similar ao Aço aisi 316L, porém estabilizado com titânio. A adição do titânio na composição química busca garantir ao material uma resistência térmica maior em temperaturas entre 425 e 815 ºC, reduzindo o risco de granulação interna. Nesse caso, a estabilização com titânio lembra o mesmo processo que o popular Aço Inoxidável 304 passa para a produção do Aço 321.

Corrosão Intragranular e o efeito do titânio em sua resistência

A corrosão intergranular (conhecida no passado como desintegração da solda) ocorre quando aços inoxidáveis da família dos austeníticos (para saber mais, confira nosso ebook sobre o ABC do Aço Inox) têm exposição prolongada a temperaturas altas a partir de 425 graus Celsius.

O aquecimento extremo faz com que o carbono do aço inox se espalhe nos contornos dos graus e precipite o composto conhecido como carboneto de cromo, fazendo com que o material fique mais aberto ao impacto em um ambiente corrosivo.

Adicionar o titânio, nesse caso, reduz o risco dessa Corrosão Intergranular, distribuindo o cromo na estrutura do aço de forma correta, precipitando o composto chamado de carbonitreto de titânio (TiCN).

As regiões adjacentes aos contornos dos grãos não diminuem o teor do cromo e permitem uma diminuição do risco. Nesse ponto, tanto o Aço 316L quanto o 316Ti são produzidos com a mesma resistência, mas com a diferença de que, no caso do Aço aisi 316L, a alternativa utilizada para diminuir a corrosão intergranular é o baixo teor de carbono (menos de 0,03%).

Sendo ambos resistentes ? ? corrosão, o Aço inox aisi 316L e o 316 Ti servem para as mesmas aplicações?

Na maioria dos casos, os dois tipos são intercambiáveis, podendo o Aço inox aisi 316L (1.4404 na nomenclatura europeia) ser aplicado em projetos que especificam o Aço 316Ti (1.4571).

Em meios de corrosão aquosa ou com temperatura ambiente, o Aço aisi 316Ti não tem praticamente nenhuma vantagem a mais em relação ao 316L. Sendo assim, em algumas circunstâncias ele pode ser a melhor escolha.

Comparação entre as propriedades mecânicas

A técnica de estabilização do titânio utilizada no Aço 316Ti (1.4571) faz com que ele se torne mais resistente em temperaturas acima dos 600ºC. Por isso, dependendo da aplicação e do projeto, ele pode ser preferido em relação aos Aços 316 e 316L. Em contrapartida, em temperatura ambiente o aço 316L tem uma vantagem em relação ao 316Ti em sua resistência mecânica.

Usinabilidade e o polimento desses aços

Em decorrência das partículas de carbonitretos de titânio, a usinabilidade do Aço inox aisi 316 Ti (1.4571) resulta em um desgaste grande da ferramenta de corte e não pode ser conformado a frio ou recalcado a frio como ocorre com os aços 316L (1.4404/1.4432) que podem ser facilmente trabalhados dessa maneira.

Quanto ao polimento, os carbonitretos de titânio do aisi 316 Ti podem resultar em problemas nos quais é requerido? acabamento superficial polido de alto padrão. As partículas de carbonitretos de titânio podem resultar em riscos do tipo “cauda de cometa” na superfície polida, que são arrastadas durante o polimento.

Resistência ? corrosão

Há alguma evidência de que o Aço 316 Ti? pode ter resistência ? ? corrosão por pite e ? ? trinca de corrosão sob tensões? inferiores, em comparação? aos Aços aisi 316L (1.4404/1.4432), embora a resistência ? ? corrosão geral entre eles, via de regra, pode ser considerada? a mesma.

Soldabilidade dos aços

A soldabilidade dos Aços 316 Ti e 316L pode ser entendida como sendo similar. Ambos possuem soldabilidade com o mesmo grau de facilidade e qualidade.

Para soldagem do 316 Ti, deverá ser utilizado material de enchimento (consumíveis para solda) estabilizado com nióbio, principalmente nas aplicações em que é importante contar com a resistência da solda em temperatura elevada. Em resumo, ? o consumível de 316L resultaria em cordão de solda mais resistente ? corrosão aquosa do que o material de base 316 Ti.

Dicas finais sobre as aplicações dos Aços inox aisi 316, (1.4401), 316L (1.4404/1.4432) e 316Ti (1.4571) em projetos

O tipo de aço a ser escolhido dependerá da necessidade do projeto. Como vimos, tanto o baixo teor de carbono do Aço 316L quanto a aplicação de titânio do Aço 316Ti possuem o mesmo papel de diminuir o risco de corrosão dentro dos grãos da liga. Uma boa dica para orientar a escolha de um ou outro é a temperatura na qual o produto composto por esse aço inox será submetido.

Já o Aço 316 é uma alternativa com molibdênio em sua liga, podendo servir para aplicações dos populares tipos 304 e 304L (panelas, produtos hospitalares, etc).

Caso você tenha outras dúvidas sobre o aço mais indicado para o seu projeto ou queira saber mais sobre as soluções em aço inox oferecidas pela Losinox, contate-nos através de nosso formulário!

Caso seja um comprador de aço inox, baixe o nosso manual do comprador de aço inoxidável!

aço inox aisi 316

read more
1 2 3
Page 1 of 3